Levados Pela Poesia

domingo, 25 de março de 2018

OP.13 N.3 - VARIAÇÕES ACRÓSTICAS SOBRE PIETRA

Pietra I

Pensamentos paradoxos e soltos,
Inteligência confusa e caótica,
Emoções sensíveis e destroçadas,
Tristonhos sentimentos frios;
Raros sorrisos contra o vazio:
Aquela menina é ela… tão solta.

Pietra II

Penetro em seu olhar profundo,
Indago-me se é possível curar,
Estes ferimentos da vida insana,
Teríamos que nos aventurar,
Rumo ao desconhecido sombrio,
Amando-nos nas luzes deste mar.

Pietra III

Pessoa que rouba meu coração,
Interpreto tuas loucuras com razão.
Enquanto estiveres ao meu lado,
Terás com quem partilhar sua mão,
Rir, sofrer e chorar, é amizade,
Apesar de sermos mais que irmãos.

Pietra IV

Perfeito é poder tê-la comigo,
Independente das emoções,
E olhar bem de perto seus olhos,
Tentando conter as desilusões,
Remanescentes de seu passado,
Antes que seja tarde demais. 

Pietra V

Pela sua presença encontro a paz,
Inesperada reação vinda do caos,
Engraçado e mais que contraditório,
Todas essas meras insanidades.
Resolvi ficar porque somos iguais,
Além de todas evidentes diferenças.

Pietra VI

Philosophy she is for sure,
Increasing world’s sensibility,
Entertaining my deep thoughts,
Treating my wisest meditations,
Running like a worried cat,
Although she’s just a little girl.


Pietra VII

Penso em ti a cada momento,
Instantaneamente, como vento.
Ele me leva até você, assim,
Torturando meus sentimentos,
Rasgando-me por tal saudade,
Abandonando-me por dentro. 

Pietra VIII

Pessoas são apenas pessoas,
Infelizmente elas passam.
Escapam da memória do amor.
Tu és a primeira excessão,
Risível para quem é lógico:
A única que não passa.

Pietra IX

Passo horas imaginando sua face,
Imaginando toda a sua complexidade,
Enfeitaçado por cada detalhe,
Tagarelando internamente sobre ti,
Rindo de nossos velhos momentos,
Amando-te muito mais; minha Lisa.

Pietra X

Primeiro uma dose de loucura,
Inteligência contraditória?
Ensaios sobre a tortura?!
Tagarelice arrependida, fria,
Revolta ensurdecedora; brilha,
Ainda que no fim ela retorne.

- Augusto Fossatti

Nenhum comentário:

Postar um comentário