Levados Pela Poesia

domingo, 25 de março de 2018

SEM LUZ (OP.14 N.1)

Aluna, diriam eles,
Alguém desprovida de brilho,
Alguém que se deva ensinar,
Mas é ela quem esnina, fascina,
Ilumina todas as minhas tardes,
Depois do meio-dia, ela desfila.

Quase me fez perder tudo,
Pela inveja das demais coitadas,
Imagine se não existisse?
Para quem mais eu falaria?
E todos condenariam o nosso amor,
Mas ninguém entende a inocência.

Somos um para o outro um motivo,
Um significado de brilho forte,
Uma razão para seguir em frente,
E a verdade de todas as tardes,
É que é a melhor parte do dia,
Quem diria? Adoro te ensinar!

(Augusto Fossatti)

Nenhum comentário:

Postar um comentário