Levados Pela Poesia

sexta-feira, 30 de março de 2018

OP.2 N.20 - MERCADORIA HUMANA

Faz o que faz ou não faz o que quer fazer, 
O homem é preso ao prêmio que quer receber,
Cansados de trabalhar e de esperar o lazer,
Pobres homens confusos, morrerão sem o ter.

Chega ao templo e pede para o rei benzer,
Nada que qualquer um possa dizer,
Então por que no final de tudo a ilusão ter,
De que você será o grande escolhido para viver?

Ah! O que fazer? Levar tudo sem escolta,
Tomar cuidado! Algo que vai ainda volta.
Não precisa confiar em nada que se exalta,
Na hora do pesadelo se vê além da esmalta.

Não se iluda com seus atos sobre o galardão,
Nada é real se você não o tem em sua mão,
Não há nada lhe esperando, não há um ancião,
Nada irá ganhar por sua incrível crédula gratidão.

Com o tempo você encontra sua real solidão,
Não importa, de verdade, sua aptidão,
O que poderá levar contigo é a sua razão,
Após isso poderá sempre chegar à conclusão.

Somos todos parte de um enorme comércio,
Tráfico de mulheres, ou de empregados,
Os que valem mais e os que valem menos,
E quando damos pane, somos exterminados!

- Augusto Fossatti

Nenhum comentário:

Postar um comentário