Levados Pela Poesia

quarta-feira, 14 de março de 2018

OP.2 N.31 - VIVER É VIVER

E se sentisse sono, e não quisesse dormir?
E se sentisse frio, e não quisesse vestir?
E se o vinho não tem mais gosto,
A ponto de não querer mais engolir?

Se a vida é ilusão, ou apenas ilustração?
Nossa mente cria tudo, cria o céu e o coração,
nada pode ter sentido, nada irá ter sentido,
desde sua voz, até sua própria criação.

Não me sinto só, apenas sem ninguém,
não me sinto triste, apenas infeliz,
nada pode me curar, nada pode mudar,
essa incrível mudança de vida, que deixa cicatriz.

E se minha vida não tem mais convicção?
Se tudo aqui já está tão automático
sistematizado e perdido, no mundo indomável,
talvez não passe de um conto dramático.

Por que tudo parece ser tão fútil?
Por que o doce perdeu seu sabor?
Com pouca vida será normal ser tão...
Tão displicente, a todo louvor?

Não posso estar vivendo como igual,
diferente, só posso ser deficiente,
sou único, incomum, abrangente,
não posso mais ser sorridente.

Teoria sim, digo à todos,
velha, e Horácio dizia para colher o momento,
mas na prática tudo é tão desigual,
preciso libertar-me do terrível tormento.

E se não quero mais viver?
Então vou deixar de ser tudo que imaginei?
Nada então fará sentido,
nem mesmo tudo o que sonhei?

Acho que estou perdido neste mundo,
no mundo cheio de tristes lamentos,
E está cada vez mais difícil,
colher aqueles eternos momentos.

Onde está mesmo esse tal de Jesus?
Em um sinal, perdido, escondido,
nesse mundo grandes homens são detidos,
e logo morrem, como grandes esquecidos.

Minhas dúvidas nunca acabam,
Newton que dizia da sabedoria,
mas será tão verdade na prática?
Cada vez acredito menos nessa teoria.

Não posso mais segurar essa vida,
por mais nova, ignorada ao incrível,
acabei perdendo minhas almas,
e todo o meu ponto de equilíbrio.

Se este é desabafo... É tão idiota,
tenho cada vez mais medo,
de desistir, de não querer mais nada,
desejar a verdade, e partir tão cedo.

Mas ainda creio que possa continuar,
e me tornar titular, controlar,
parar de ser tão teimoso,
tentar mais viver do que chorar.

Pois viver é o sentido da vida,
e ninguém pode entender mais que vida,
tudo que existe é conjectura...
a vida, é uma simples figura.

Se todos nós temos que partir,
então na minha hora, querei ir,
não esquecendo do quão certo,
fui, homem querido, homem esperto.

Obrigado aos tantos que me ajudaram,
com suas doces palavras derramadas como mel,
palavras são tão importantes para a vida,
como são os giros para um carrossel.

- Augusto Fossatti 

Nenhum comentário:

Postar um comentário