Levados Pela Poesia

domingo, 25 de março de 2018

OP.9 N.21 - VENTOS PERDIDOS

O conhecimento é estridente,
Procura um fim, volta em mente,
Sabemos ser inconsequentes,
É um vício que controla rente,
Todos os sentidos incoerentes,
Pois sabendo ou não o que vem,
Jamais pensamos no porém,
Assim prosseguimos também,
Vivendo bem sob uma lente, "zen",
Que o futuro jamais desmente,
E mente que iremos em frente,
Atrasados em fatores desnaturais,
E naturais quando se procura,
Onde foi parar nossa ternura?
E o sentido dessa desenvoltura,
Como se fosse uma cultura,
Perde-se no tempo com o vento,
No momento em que se faz,
Jamais poderemos voltar atrás,
Assim se descontrai as derrotas,
Enquanto diz que não são nossas,
E as vitórias nos deixam aqui,
Mesmo perdendo, ele sorri,
Voa, voa, conhecimento santo,
Que em um dia é magnífico,
Quando se reflete é um espanto,
E vai embora sem voltar pra cá,
Onde permanece, que fique lá,
Este aqui é nosso canto ignorante,
Não me traga este temperamento,
Que além de triste é inconstante,
E por mais que nos glorifique,
Poucas vezes como queira,
Sempre derrama nossa lágrima,
Sempre nos atira na fogueira,
Então voa, voa, conhecimento,
Longe de mim, eu me isento,
Além de que já estou cansado,
E logo da vida me aposento.

- Augusto Fossatti

Nenhum comentário:

Postar um comentário