Levados Pela Poesia

segunda-feira, 16 de abril de 2018

ASPIRAÇÕES SOBRE AS ONDAS

Tens abnegação! Oh, não!
E desta vez eu patenteio que me estilei
Por dentro.
As lágrimas difundiram-se com cactos
Que têm acumulado...

O suplício que me envolveu
Foi o mesmo que me concedeu
Melancólicos prestígios sobre alguém no desdém.
Esculpi o "nós" em um seixo de gelo.

Contingente, és casual:
Tu sabes que isto é mais do que isto.
Não desperdiças contextos,
Pois indagas o que almejo,
Tu desfrutas de tua perspicácia.

Cogitei em minha teia
Um pedaço de pano difícil de negar...
A escolha foi demorada, muito bem elaborada,
E o botão representante, apenas em um instante.

Com a sensação que situou-se-te tão brevemente
Cativei-me e esqueci as mágoas;
Do teu abraço elaborei meu mastro,
Que expressei em cada delicadeza que lhe cedi;
Fiz compensação com o sorriso esboçado por ti,
Com ele desvaneci em dois infinitos segundos,
Abrangendo o limiar.

Há vezes as quais a frustração vem me encontrar:
"Lamento tanto, só que hoje não acontecerá".
Por que pondero tudo aquilo que não transcrevo?
Se nenhum “querer” aconteceu, nunca do meu jeito.

Não engano a ti, somente a mim.
Contempla o aproximar auspicioso
E não me postergues.

2014,
Thais Poentes

Nenhum comentário:

Postar um comentário