Levados Pela Poesia

segunda-feira, 30 de abril de 2018

INTRODUÇÃO DO NOVO FIM

Maldita seja a memória do toque!
A sensação de ser atormentada
Deixa-te livre
Na gaiola
E surge o suplício do espírito por mudanças,
Quando tudo o que consegue sentir é receio.

Se hoje sou como sou,
Eu te condeno e culpo!
Desta forma, adquiro sensatez
Em meio ao delírio.
Dos meus olhos verás o sangue escorrer,
Porém eles não expressam a questão.
Finaliza!

Não há caule que faça diferença, –
Descontinuidade –
O instinto não lhe privará do que lhe foste reservado.

Por que caminho no que aflautas
E sempre tropeço na desgraça?
Não desejo expor com íntegra veracidade:
O nada.

Dá o próximo passo,
Continua teu percurso e abandona-me aqui.
Sozinha estarei, como me foi destinado,
Não terei mais o que lamentar
E no solo do desdém eu me encontrarei.
Cais novamente...

Sem flores nos olhos, –
Intransmissível –
Nem ao menos uma sepultura foi-me concedida,
Ou cinzas,
Não há rastros...
Levaste até a escuridão.

2013 - 2014,
Thais Poentes

Nenhum comentário:

Postar um comentário