Levados Pela Poesia

domingo, 22 de abril de 2018

VÍNCULO EMPREGATÍCIO

Nunca desejei pertencer
Ao o que me compôs.

"Abandona tua sintonia,
Abandona teu tom
E terás tua dissonância".

Suas notas tiveram êxito
Nos fios que tremem
Às teclas da segregação.

Nessa trova havia a voz
Soando pelos ecos ao redor,
Citando trechos para uma rapsódia.

"Deixa para trás a simetria,
Deixa para trás aquele instante,
Persegue o Revérbero".

No seu recanto há desalento,
Do nirvana emergente
A beleza do instrumento.

Esta canção incisiva tem a taciturnidade
Do ruído. Fora delineada...
Sua discrepância teve meu acato
E sugou tudo que há em meu ente.
Fora retumbante!

Nela havia um aprisco,
Nele estavam guardados
Destroços do meu devaneio.

Desertei meu caminho,
Reneguei meu cilindro
E entreguei-me à torrente.

"Não passa de um expoente",
Diz toda aquela gente.

Junho de 2015,
Thais Poentes

Nenhum comentário:

Postar um comentário