Levados Pela Poesia

sexta-feira, 25 de maio de 2018

OP.2 N.13 - ABSTRATO

Neste enorme desespero busco conforto,
Não! Por que é tão difícil sentir-se pleno?
Ignoro as possibilidades, ignoro meu aborto,
Estou aqui disposto, não estou morto,
E luto contra a morte com instinto natural,
Mas viver é uma lástima, não desejo a ninguém,
Se eu tivesse a chance de escolher, escolheria,
Nenhuma criança novamente nasceria.

Após o ventre, a derrota é a única causa,
Está lá nos aguardando há séculos e séculos,
Ninguém consegue ver como é tudo interligado?
Acho que os Deuses estão fantasiados.
Aparecem grandes mestres e sábios da vida,
Ninguém pode me dar uma bebida?
Ninguém pode me oferecer um simples jantar?
Apesar de parecer vivo, mas eu não estar,
Nem sempre a realidade deixa algo a reparar.

Destruo barreiras, evoluo e transformo,
Ainda assim o tédio domina todos os cantos,
Nada que eu faça me anima aos encantos,
Todos saem tristes, então saia logo, não morra.
Minha realidade corrói sua mente,
Para aguentar tudo, precisa ser um decadente.

Não podemos ver além da superfície,
Não nos deixam saber o que está acontecendo,
Só podemos tirar conclusões do que já conhecemos,
E assim o medo se aproxima forte e ileso.
Pois então, o que todos nós aqui faremos?
Eu sei, é uma pergunta idiota, afinal,
Quem não se importa continuará vivendo,
Continuará fazendo porta, usando cola!

Preste atenção nesta vibração de sua mão,
Ainda há tempo para se libertar da mentira,
Estes vestígios marcam história, marcam momento,
Não sei o que fazer, só sei que não aguento.
O tempo está correndo e minha angústia aumentando,
Não vejo motivos para mais desespero,
Sigo em frente sem olhar para o travesseiro,
Momento difícil, após isso tudo, nada importa.

Literais banhos de água fria são medonhos,
Mas oferecem-te algo que nada mais lhe dá,
Com a natureza consegue um contato verdadeiro,
O vento batendo em seu corpo e aquecendo.
Esta reação é incrível, e o mais importante,
Já não mais enxergo o que escrevo,
Pareço estar ficando velho antes do tempo,
Enfraquecido e cansado pelas lástimas do sentimento.

Ninguém sabe pelo o que estamos passando,
Opiniões são bem-vindas, quando pedidas,
Luto sempre a favor da destreza e clareza,
Só posso deixar o tempo partir e assim,
vencer minha fraqueza.

(Augusto Fossatti)

Nenhum comentário:

Postar um comentário