Levados Pela Poesia

quarta-feira, 6 de março de 2019

483 - Desabafos III

Nem sei por onde começar para colocar tudo isso para fora,
mas sinto-me como se eu fosse jovem outra vez.
como se o frio na barriga voltasse a ter inocência.

Tudo o que eu queria estava ao meu alcance,
menos o poder de poder parar o tempo e ali permanecer,
congelado para sempre em um simples e sereno instante.

Achei que nunca mais me sentiria parte de algo divertido,
parte de algo que fizesse realmente algum sentido,
não para alcançar qualquer coisa, mas apenas para viver.

"Apenas respire", dizia uma grande amiga poeta,
Apenas respire, porque é a única coisa que pode fazer.

Sinto-me como se eu pudesse voar em direção ao sol e
atravessá-lo como uma onda, preenchendo-me com o seu calor.

Sinto-me como se eu pudesse escrever por mais dezoito horas,
somente sobre essa sensação que, ao mesmo tempo, não consigo nem sonhar em descrever tamanho fulgor.


(Augusto M. Fossatti)

Um comentário: