Levados Pela Poesia

quarta-feira, 6 de março de 2019

O MANTO BRANCO

Minha mão segurou,
Apertou, a acariciou
E não mais a soltou.

E que belo diamante!
A peça de uma amante.

Percebo-a enquanto me observa,
E eu já a quis, que encruzada!

De mim ela gosta?
“É merecido!”, me é dito.
Sentimento em alteração.

Sua mão, tão leve,
Quase segurando meu coração.

Reconhece meu toque
Quando está sem ar?
Tenho seus dedos,
Um bem acolhido.
Um redemoinho tranquilo.

Sua voz chama meu nome
Dentro das palavras de afeto,
No silêncio estou perdida,
A neve me deixou estremecida.

E que verdade me expõe!
Chocada, sorrio.
Quero lhe conhecer,
Sem dúvida,
Paixão eu não sinto.

Coisa do verão,
Abala-te,
Para depois te abanar.
Consegue vivenciar?

É provável que me agrade
E que eu não me importe.
O que posso saber ou sentir?

Chega de confusão!
Chega de ti?

Março de 2013,
Thais Poentes

Nenhum comentário:

Postar um comentário