Levados Pela Poesia

terça-feira, 26 de março de 2019

Op.3 No. 03 - Toda Noite

O melhor café de todo o mundo,
Não existe excitante mais profundo,
Cada palavra, em cada segundo,
Penetra-me de forma incessante,
Todo o brilho e todo boa noite
Tranquilizam-me e me fazem sorridente,
Vejo-te em minhas loucas fantasias,
A despedida é o pior momento.
Logo penso em você e me contento,
Não é o suficiente, quero-te aqui,
No meio das cobertas enroladas,
Sentir o teu corpo e tua alma,
É o que eu imagino em todo tempo,
Sem malícia ou mau pensamento,
Apenas fazendo o que tenho feito,
Vendo-te, podendo tocá-la sem medo.
Tenho medo! Não posso perdê-la,
A joia mais cara e a flor mais rara,
A vida é escura, chata e amarga,
Tu és a diferença que me encanta,
Sem ti só há aquele famoso sentido,
O triste e incansável sofrimento,
Não, não me deixe, não deixe
Esta coisa se apagar entre a gente,
Pois sei que você também sente,
Quando nós nos tocamos às vezes,
Logo sinto minha razão estremecer,
Afinal, de nada eu quero saber,
Só quero lhe dar o nosso prazer,
Tudo isto se concentra nesta hora,
A hora que todo dia vai embora,
Sinto um grande vazio escurecido,
Mas logo vejo seu rosto e me animo,
Não quero sentir isto sozinho,
Venha então dividir tudo comigo,
Deixe-me sentir teus lábios desejados,
A sensação seria de uma explosão,
E nunca mais lhe deixaria sozinha,
Até o dia em que me deixasse,
Talvez não aguentasse tanto grude,
Já que sou ferro e você é um imã,
Isto é algo que não se ensina,
Encantar nobres almas perdidas,
Salvá-las da safra do suicídio,
Que é boa nesta época do ano,
Mas o ópio é a minha nova cafeína,
A mais bela e querida cravina,
Torna minha morta vida tão viva!
Então não se esqueça da despedida,
Sinto-me confortável neste canal,
E cada segundo imagino teu rosto,
Cada momento vejo o teu corpo,
Perto de mim quebrando limites,
Nada diminui, apenas aumenta,
Não tenho medo do que vem depois,
Eu te quero comigo aqui toda noite!

(Augusto Fossatti)

Nenhum comentário:

Postar um comentário