Levados Pela Poesia

quinta-feira, 18 de julho de 2019

Op.4 No. 05 - Liberdade

O que é de fato ser livre?
Sentar no sofá e se sentir confortável?
Deitar na grama fina aparada,
Deitar no mato e não se incomodar.
Não sei, de fato, não sei comunicar,
Afinal estou preso neste mundo,
Aprisionado em um Universo infinito,
Um todo complexo e estranho,
Que deixaria até Deus perplexo,
O que está havendo afinal?
Não há perguntas ou respostas,
Tudo é incerto, tudo é ridículo e certo,
Tudo é completamente errado.
Os paradoxos ninguém responde,
Não! Ninguém pode ver ou decifrá-los.
É um grande fluxo constante de sangue,
Sem uma gota de criatividade,
Vamos seguindo e formando tolos,
Tolos que procuram todas as respostas,
Mas o que é de fato estar livre?
Você sabe? Quem sabe afinal...
Estamos apenas aqui de passagem,
Viajando em um mar de provocações,
Um provando ao outro seu Eu,
E ninguém admitindo ser seu,
É uma insana aventura sem pé,
Sem pé nem cabeça, ou corpo algum,
Alguns chamam de vida, outros,
Ninguém sabe o que acontece.
Ser livre é pular e festejar cada tempo?
Será mesmo assim que captura,
Será mesmo assim que há a ruptura?
Onde está a barreira dos sonhos,
Todos perdidos e envelhecidos lá fora,
É como a velha pólvora sem rumo,
O amor, o ódio, a paz e emoção,
Onde estão todos os motivos?
Você os conhece? Apresente-os então,
Sinto-me dentro de uma jaula,
Afinal o mundo é uma dessas prisões,
Forjadas a ferro e moldado com ouro,
A minha liberdade está nas folhas,
Na caneta, no lápis, no teclado,
Aqui nada é falsificado,
Sem censura ou lavagem cerebral,
Aqui estou livre para expressões,
Acredito que seja um refúgio,
Fugindo desta imensidão horrível,
Aqui não há crenças, nem direito,
Não há preconceito ou conceito,
Apenas o que ocorre aqui mesmo. 
Então, o que é a liberdade afinal?
Sentar no chão e ir escrevendo...

(Augusto Fossatti)

Um comentário:

  1. poemas permitem a existência da "liberdade", como permitem a existência da "alma" e do "eu".

    ResponderExcluir