Levados Pela Poesia

sexta-feira, 10 de abril de 2020

HOSANA

Estou entalada em minha mente,
Infantilmente doente,
Com este refluxo de mim
E esta feriada exposta assim
Como um espasmo contrário
Ao que estava defronte ali
Naquele espelho... eu vi.
Era a minha face, tenho certeza,
E sei que não me concerni.
Olho para meu corpo abaixo com avareza.

Ah, céus!
Eu não deveria escrever sobre ela,
E lá vai!
Veja quem me lê...
Poderia ser ela, e não deve ser.
Eu vejo um uma incógnita cinza
Quando enxergo fundo em seus olhos.
Parecem desencontrados.
E como poderia te alcançar?!
É tão difícil!
O trabalho duro trará uma recompensa?
Ou isso é só mais uma ofensa?!
Mais uma expectativa para alta cair e se espedaçar?!

Perdoe-me, não deve ser justo contigo.
O mundo é isto!

O que poderia ser meu primeiro
Ou talvez o meu último
Amor,
É um texto ignorado
Que sumirá em alguma explosão.

Entregue-se a mim.   
Por que não vem?
Limpe esse borrão.

Fevereiro de 2020,
Thais Poentes

Nenhum comentário:

Postar um comentário